Logo Prefeitura de Salvador

Catedral Basílica de Salvador

Quando os jesuítas chegaram a Salvador, em 1549, integrando a comitiva do governador-geral Tomé de Sousa, fundaram uma pequena capela dedicada a Nossa Senhora da Ajuda, dentro dos muros da cidade. Mas não se demoraram muito ali, pois receberam em doação um terreno fora dos muros.

Assim, em 1550 foi fundado o Colégio dos Meninos com sua capela, todos ainda em taipa, material que logo se arruinara, sendo várias vezes reedificadas. Coube a Mem de Sá a construção de um templo em alvenaria, na praça, que veio a se chamar Terreiro de Jesus.

A atual Catedral Basílica de Salvador é a quarta a ser erguida no mesmo local e último remanescente do conjunto arquitetônico do Colégio. A autoria do projeto é incerta, mas o visitador padre Cristóvão de Gouveia afirmou ter alterado o risco original do irmão Francisco Dias. Sua pedra fundamental foi lançada em 1657, sendo inaugurada e consagrada em 1672. Mas ainda não estava totalmente pronta. O frontispício foi concluído em torno de 1679, os sinos vieram de Portugal somente em 1681, as torres foram arrematadas em 1694 e a decoração interna se estendeu por muito mais tempo. Em 1746 foram instaladas estátuas na fachada. Sua planta é típica das igrejas luso-brasileiras.

A Catedral Basílica pertence à Arquidiocese de São Salvador e foi, individualmente, tombada pelo Iphan em 25 de maio de 1938, incluindo todo o seu acervo, um dos mais valiosos do Brasil.

Após uma reforma de três anos e oito meses, que consumiu R$ 17 milhões, 50 mil folhas de ouro, 5 mil folhas de prata e muito, muito trabalho, a Catedral foi reaberta ao público no dia 14 de setembro de 2018. Foram restaurados os 13 altares, pinturas em telas, painéis de azulejos, o forro sob o coro, o piso, a fachada. e até as lápides que guardam as sepulturas como a de Mem de Sá – terceiro governador-geral do Brasil -, de 1573.

Algumas das principais relíquias sacras da Bahia, que tem o maior acervo sacro do Brasil, estão de volta aos espaços encravados nas paredes douradas de dois dos altares – ficam por trás de duas portas.

Peças de terracota do século XVII, os bustos reproduzem os bustos de mártires, que ficaram 15 anos sob a guarda do Museu de Arte Sacra, voltaram para o local de origem.

As centenas de obras de arte da Catedral Basílica têm um valor incalculável. Até porque, da maioria delas, não se conhece sequer a autoria. O próprio templo é considerado barroco, mas arquitetos identificam outros estilos também.

Festas Religiosas: São Francisco Xavier (10 maio), Festa da Transfiguração do Senhor (06/08), Solenidades de Páscoa e Natal.

E-mail: contato@catedralbasilica.com.br

Site: http://www.catedralbasilica.com.br

Facebook: @ArquidioceseSalvador

Horário de visitação: seg a sáb – 09h às 17h. Dom – 11h30 às 17h

Taxa visitação: R$ 5,00

Missas: Domingos, às 09h

Imagens aéreas: Carlos Santiago – Myphantomtoy

Endereço: Largo Terreiro de Jesus, s/n – Pelourinho, Salvador, Bahia

Telefone:(71) 3321-4573

Igreja Nossa Senhora da Ajuda

A primeira Igreja da Ajuda foi levantada em 1549, durante o processo de construção da cidade de Salvador pelo governador-geral Tomé de Sousa. Seus construtores foram os jesuítas, liderados por Manuel da Nóbrega, que levantaram uma igrejinha precária, de paredes de pau a pique e coberta de palha. Situava-se no interior do recinto de Salvador, cidade que, à época, estava cercada por uma paliçada para a proteção dos colonos. Foi dedicada à Nossa Senhora da Ajuda, que era o nome de uma das naus da frota de Tomé de Sousa.

Além de servir os jesuítas, essa primeira igrejinha foi sede de paróquia, com Manuel Lourenço como primeiro padre. Com a criação da diocese da Bahia (1551), o bispo Dom Pedro Fernandes Sardinha instalou-se nas imediações e a Igreja da Ajuda serviu de Sé Catedral improvisada, o que lhe valeu a alcunha de “Sé de Palha”.

Festas:

12 abr – Procissão Encontro Senhor Bom Jesus dos Passos com N. Sra. das Dores

22 mai – Santa Rita de Cassia: tríduo e procissão

18 dez – N. Sra. da Ajuda

Missas: Seg a sex – 12h30

Visitação: seg a sex das 8h às 15h – gratuito

E-mail: igrejadaajuda@gmail.com

Site: http://igrejadaajudasalvador.webnode.com.br

Instagram: @igreja-nossa-senhora-da-ajuda

Endereço: Rua da Ajuda, s/n, Centro – Salvador, BA

Telefone: (71) 3322-3296

Foto: fotógrafo Antonio Queiros

 

Igreja Nossa Senhora do Carmo e Convento do Carmo – Ordem Primeira

A Igreja e Convento de Nossa Senhora do Carmo, construída no início do século XVII, em estilo neoclássico, apresenta uma das mais belas sacristias do mundo. O convento é o maior da Ordem Carmelita no mundo, possuindo dois claustros e 80 celas.

Em 1586 a Ordem dos Carmelitas Calçados se estabeleceu no Monte Calvário (atual Alto do Carmo). Durante a Invasão Holandesa (1624 a 1625), o Convento abrigou o Quartel General das forças de resistência e lá os holandeses assinaram sua rendição. Em 1828, o Convento do Carmo tornou-se a sede do Conselho Geral da Província da Bahia, instituído após a Independência do Brasil.

No entorno do Convento, o visitante pode desfrutar da gastronomia local e visitar atelies como o Poró Restaurante, o charmoso Cafélier do Carmo e o Daqui do Alto, ambos com vista para a Bahia de Todos os Santos, o Rango Vegan para quem curte a culinária vegana, o Abará da Vovó, Ulisses e os ateliês de Leonel Mattos e Isa Oliveira, Ateliê Casa 9, o Brechó do Cabral, entre outros.

Festas:
N. Sra. do Carmo (16/jul) e Santa Terezinha (01/out)

Visitação: Gratuito próximo aos horários das missas

Missas:

Seg à sex às 18h,  Sab – 16h.   Dom – 7h 

EndereçoRua do Carmo, 1 – Santo Antônio Além do Carmo, Salvador – BA

Telefone: (71) 3242-0182

Igreja e Convento de Santa Teresa

Em 1661, seis monges da Ordem dos Carmelitas Descalços portugueses aportaram em Salvador, de passagem para Angola. A pedido dos habitantes locais permaneceram na cidade e construíram o Convento de Santa Teresa d’Ávila de 1667 a 1676. A igreja foi concluída em 1697.Em 1665, é fundado na Bahia um convento de Carmelitas Descalças, cujas obras são conduzidas pelo Frei José do Espirito Santo.

A fachada, em linhas clássicas, é inspirada no modelo romano de Vignola, sendo um caso único deste tipo de composição antes do final do século XVII, no Brasil. A cúpula da Igreja possui uma coroa de consolos em arenito.

Em 1837, foi instalado no Convento de Santa Teresa o Seminário Arquiepiscopal. O altar-mor atual, de prata, é proveniente da antiga Sé, demolida em 1933.

Em 1959, foi criado o Museu de Arte Sacra (MAS), vinculado à Universidade Federal da Bahia, em parceria com a Arquidiocese. 

As instalações incluem um atelier para restaurações e espaços para exposições e eventos culturais.

Não celebra missas.

Taxa: 10,00 e 5,00 (meia)

E-mail: mas@ufba.br

Horário de Funcionamento: Seg a Sext 11h30 às 17h30

Rua do Sodré, nº 25 – Salvador-BA

Telefone:(71)3243-6511/5593

Capela de São Pedro Gonçalves – Irmandade de São José do Corpo Santo

A capela de São Pedro Gonçalves do Corpo Santo é citada por alguns autores como tendo sido fundada em 1711, por Pedro Gonçalves, um marinheiro espanhol, para pagar uma promessa feita durante uma tempestade na Baía de Todos os Santos. Entretanto, o Monsenhor Manoel de Aquino Barbosa, em seu livro Retalhos de um arquivo (1972), afirma que essa Capela é pelo menos um século mais velha e cita: “Preferimos colocá-la nos últimos anos do século XVI”.

A datação de Aquino Barbosa tem base nas referências do Frei Agostinho de Santa Maria, em sua obra do Santuário Mariano. Essa obra indica que existia uma ermida, provavelmente nesse local, dedicada a São Frei Pedro Gonçalves, que seria muito mais antiga que a Paróquia da Conceição da Praia, criada em 1623. Sabe-se que a Igreja do Corpo Santo era a igreja dos marinheiros e tinha um cais na Baía. De 1736 a 1756 serviu de matriz da Paróquia da Conceição da Praia, durante a construção do novo prédio daquela igreja. Em 30 de agosto de 1891, foi fundada a Irmandade de São José do Corpo Santo, que atualmente é responsável pela Igreja. Foi tombada pelo IPHAN em 1938.

Endereço: Rua do Corpo Santo, s/n – Comércio, Salvador – BA, 40015-200 (próximo ao Elevador Lacerda).

Visitação:

Seg a sex – 8h às 15h – Gratuito 

Missas:

Ter e sex – 12h

Todo dia 19 do mês – 12h

Telefone: (71) 3243-6199

Igreja de São Miguel

A construção desta igreja em estilo colonial, que remonta ao início do século XVIII (1725 a 1732), se deve a Francisco Gomes do Rego, que a levantou sob a invocação do Senhor Bom Jesus de Bouças Crucificado da Via Sacra e São Miguel. A casinha anexa foi doada pelo fundador à Ordem 3ª. de São Francisco, com o compromisso que esta mandasse rezar anualmente, sete missas votivas.

Em 1854, a imagem do Senhor de Bouças foi colocada no sepulcro do altar e, em seu lugar, foi colocada outra do Nosso Senhor Crucificado, pertencente à igreja da Ordem 3ª. de São Francisco.

Destacam-se as imagens de Cristo na Cruz e a de São Miguel. Na fachada, um painel de azulejos policromados, com emblema da Ordem 3° de São Francisco, vindo de Lisboa por volta de 1780-90. No nicho central havia uma imagem de Nossa Senhora.

Horário de Funcionamento: Seg à Sex 9h às 16h

EndereçoR. Frei Vicente, 33 – Pelourinho, Salvador – BA

 FECHADA

  

Igreja e Convento dos Perdões

A Capela de Nossa Senhora da Piedade e o Recolhimento do Bom Jesus dos Perdões foram construídos no início do século 18. Muitas alterações foram feitas posteriormente. O conjunto foi tombado pelo IPHAN, em 1943.

No início do século 18, Domingos do Rosário e Francisco Chagas ergueram uma Capela dedicada a N. Sra. da Piedade e um pequeno recolhimento sob a invocação do Senhor Bom Jesus dos Perdões. Em 1732, o arcebispo D. Luís Álvares deu-lhe estatuto, ficando o Recolhimento sob à jurisdição do Prelado Diocesano.

De 1789 a 1819, a Capela e o Recolhimento foram ampliados, incluindo a instalação da torre e 40 novas celas.

No século 19, funcionou o Colégio Senhor dos Perdões, como indicou um anúncio na Gazeta da Bahia, de 16 de janeiro de 1884.

No século 20, o convento sofreu mais modificações, com a construção de anexos. Em 1909, passou a oferecer também ensino secundário. O Educandário funcionou até 1943.

Na igreja, destaca-se a pintura do forro da nave e do segundo coro, atribuída a José Teófilo de Jesus. O prédio possui quatro pisos.

 

Missas: Seg – 7h; Ter a sex – 18h30; Sab – 18h e Dom – 10h

Confissão: De terça a sexta: 18h

E-mail: irmaos.csjoao@gmail.com

Site: https://www.csjoao.com/

Facebook: https://www.facebook.com/irmaosdesaojoao/?fref=ts

EndereçoR. dos Perdões, 110 – Santo Antônio Além do Carmo, Salvador – BA

Telefone: (071) 3032-6825

FECHADA

Venerável Ordem Terceira Nossa Senhora do Carmo

A Venerável Ordem 3ª de Nossa Senhora Do Monte do Carmo é uma das mais antigas construções religiosas de Salvador, contendo uma riquíssima arquitetura, uma belíssima sacristia, catacumbas e a antiga senzala onde eram acolhidos os escravos pelos irmãos carmelitas.

O visitante também pode conhecer a imagem do Cristo em tamanho natural, com 2 mil fragmentos de pedras de rubi indiano incrustados nas chagas, esculpida no século XVIII, em cedro, pelo escravo Francisco Xavier das Chagas – o Cabra. Também pode visitar a senzala e os túneis que ligavam as igrejas.

Festas: Sexta-feira Santa e Santa Tereza de Ávila (15 out).

Missas:  1º dom/mês – 9h

Visitação:

Seg a sex – das 9h às 18h.  Sab – das 9h às 13h e Dom – das 9h às 15h

Taxa visitação: R$ 5,00

E-mail: o.t.csodaliciodesalvador@gmail.com

Telefone:(71) 3326-9432

    

Paróquia do Pilar e Santa Luzia

O templo histórico, construído pelos imigrantes espanhóis em homenagem a sua padroeira, apresenta elementos dos estilos barroco, rococó e neoclássico e foi recentemente restaurado pelo IPAC. A Igreja foi construída em 1718, com sua fachada em estilo rococó.

A irmandade foi organizada em 1718, na capela de um pequeno convento carmelita que existiu onde fica o “Trapiche Barnabé”. Em 1738 iniciou a construção do próprio templo, obra do mestre Felipe de Oliveira Mendes. O frontispício foi executado entre 1770 e 1780, projetado pelo Engenheiro Militar José de Anchieta e Mesquita (com representação da padroeira em mármore, segurando uma custódia). Ele também executou a planta da fachada do cemitério da Irmandade, edificado em 1799, à direita do templo. Toda a cantaria dos arremates veio de Portugal.

Em 1829, um incêndio destruiu a capela-mor e uma tribuna e danificou alfaia e imagens, como a da padroeira e a do Senhor do Bom Caminho. Em outubro de 1829, a Irmandade encomendou obras de talha para a capela-mor e quatro tribunas a Joaquim Francisco de Matos que, entre 1832 e 1834, executou também o novo arco-cruzeiro, o fôrro, duas credências e quatro tocheiros. A partir de 1834 o douramento e oito painéis para ornar a nave e a capela-mor, foram feitos por José Teófilo de Jesus. No ano de 1834 também foi modelada, por Manoel Inácio da Costa, uma nova imagem do Senhor do Bom Caminho, enquanto o ourives João Bernardo executava os raios, título e cantos de prata para seu crucifixo (aproveitando a prata do que foi destruído

Segundo a juíza da Irmandade de Nossa Senhora do Pilar, Josete Batista Santos, a imagem de Santa Luzia tinha seu próprio templo nas imediações da Avenida Contorno, destruído por um incêndio no final do século XIX. No Pilar, a imagem foi colocada no altar-mor, junto com as demais, mas era tão grande a devoção que, em 1902, a Irmandade decidiu construir um altar especifico pra ela, numa das laterais do templo. Tornou-se muito popular a festa em devoção a Santa Luzia, que acontece todos os anos em 13 de dezembro. Na ocasião, os devotos católicos buscam as águas da fonte milagrosa de Santa Luzia para sarar suas doenças, principalmente as relacionadas aos olhos, já que esta, que é considerada pela Igreja Católica uma das “virgens-mártires”, sofreu o martírio de ter os olhos arrancados. A santa é considerada padroeira dos marinheiros e madrinha dos Filhos de Gandhi e da Banda Didá. No sincretismo afro-brasileiro, é relacionada com Oxum Apará, uma mistura de Iansã com Oxum.

A fonte natural do local, que já serviu outrora para abastecimento de naus e caravelas do porto da cidade, provém da canalização realizada quando da contenção da encosta para construção do templo.

Festas:

Nossa Senhora do Pilar: 2º domingo de setembro
Santa Luzia: 13 de dezembro 

Facebook: @pilarluzia

Visitação: Ter à sex 9h às 15h. Sab – 9h às 12h – Gratuito 

Missas: domingos às 9h e todo dia 13 do mês: às 8h, 10h e 17h

Endereço: Rua do Pilar,55 – Comércio, Salvador – BA

Telefone: (71) 3323-0219

Basílica de Nossa Senhora da Conceição da Praia

A Basílica de Nossa Senhora da Conceição da Praia, ou Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia é a uma das paróquias mais antigas da Arquidiocese de São Salvador da Bahia, no Brasil.

Situada no sopé da montanha que liga a cidade Alta à Cidade Baixa, sua primeira igreja foi feita por determinação do primeiro governador-geral do Brasil, Tomé de Sousa e, sua atual construção em estilo barroco, foi feita toda de pedra-sabão (pedra de Lioz) trazida de Portugal em pedaços separados. É a terceira construída no local sobre o assentamento da primitiva, erguida por Tomé de Sousa quando da fundação da cidade, em 1549. A atual igreja foi iniciada em 1739 e inaugurada em 1765, mas suas obras só foram concluídas em 1849. 

Abriga imenso patrimônio artístico, em especial, a pintura do teto, em estilo ilusionista, de J. Joaquim da Rocha (1772-3). A imagem de N.S. da Conceição é do artista Domingos Pereira Baião (1855). O belo retábulo do altar-mor é de João Moreira do Espírito Santo, de 1765 a 1773. Nossa Sra. da Conceição é a padroeira da Bahia. Irmã Dulce foi sepultada nessa Igreja.

Seu interior possui a primeira demonstração mais completa do barroco de dom João V no Brasil, destacando-se a pintura do teto da nave que obedece à concepção ilusionista barroca de origem italiana de autoria de José Joaquim da Rocha.

A Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia é tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN, desde 1938. É dedicada à padroeira do Estado. Dela, partem os cortejos das festas do Senhor Bom Jesus dos Navegantes (1º de janeiro), Conceição da Praia (8 de dezembro) e de Santa Luzia (13 de dezembro).

Ao lado da igreja foi recém inaugurado o Cerimonial da Conceição da Praia, que aliou uma arquitetura moderna às paredes originais do seu interior. Com capacidade para 1000 pessoas, é perfeito para eventos e grandes festas de casamento.

A festa em homenagem à padroeira da Bahia, Nossa Senhora da Conceição da Praia, a festa religiosa mais antiga do Brasil é realizada no dia 08 de dezembro (feriado). Padres, fiéis, seminaristas e a população seguem o andor na procissão realizada após a missa campal.

Missas:

Seg a sáb – 7h30.  Dom – 8h e 10h30

Horário de visitação: seg a sex – das 7h30 às 16h.  Sab e dom, das 7h às 12h  – Gratuito 

E-mail: pnscp@ig.com.br 

Instagram: @conceicaodapraia

Site: http://santuarioconceicaodapraia.com/

Endereço: Rua da Conceição da Praia, s/n – Comércio, Salvador, BA – 40015-250

Telefone: (71) 3038-6250/ 6264

 

© 2022 Copyright: Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia (SEMIT)
Skip to content