13 . Outubro

X

Escandalosa encerra Mostra Abundância no Espaço Cultural Barroquinha

Chega ao fim a Mostra Abundância, realizada pelo Teatro Base – Grupo de Pesquisa sobre o Método da Atriz e pela Giro Produções Culturais, com o solo performático Escandalosa, da atriz Brisa Morena, com apresentações nos dias 13 a 16 de outubro, quinta a domingo, às 19h, no Espaço Cultural da Barroquinha.

        Escandalosa é o quarto e último solo da sequência que compôs a Mostra Abundância e se afirma como arte feminista, usando da construção corporal e do movimento para denunciar as várias formas de violência contra a mulher, dando expressão a um problema silencioso. A pesquisa artística de Brisa Morena dialoga com a série de grafites da artista visual Talitha Andrade, intitulada Luto, que exibe mulheres com os rostos cobertos por uma indumentária que pode parecer tanto uma máscara, uma burca, quanto um capacete, como guerrilheiras urbanas. A identidade visual e discursiva da obra é construída pelas duas artistas em parceria, unindo as diferentes linguagens.

        “Escandalosa é uma mulher que está cansada de ser silenciada e parte para a luta. Ela se faz ouvida, para denúncia e se fortalece na luta com as outras mulheres. O espetáculo evoca a fala como alívio, identificação e reconhecimento, fazendo da expressão uma ação de enfrentamento” explica a artista, que trabalha em cena com alguns elementos da agressividade, como resistência e defesa da mulher diante das velhas estruturas. A dramaturgia corporal e de movimento são amplamente utilizadas na peça, que usa pouquíssimo do recurso da palavra, a fim de construir o discurso da mulher num outro patamar.

        A mostra ABUNDÂNCIA é resultado do projeto de manutenção iniciado no ano de 2015 com o apoio financeiro do Fundo de Cultura do Estado da Bahia através da Fundação Cultural do Estado da Bahia. A temática do feminismo é verticalizada nesse conjunto de obras, avançando na pesquisa iniciada no espetáculo “A Bunda de Simone” (2014).

        Sobre o Teatro Base - O Teatro Base - Grupo de Pesquisas Sobre o Método da Atriz é um coletivo de pesquisas nas artes cênico-performativas, formado por egressos da Escola de Teatro da UFBA, atuante na cidade de Salvador (BA) há seis anos. Suas pesquisas têm como eixo investigativo os princípios e procedimentos que fundamentam a ação do performer, a partir dos seguimentos em teatro, dança e música.

        Em 2016, o grupo completou seis anos de investigação continuada em caráter de teatro de grupo, tendo em seu currículo: experimentos cênicos; três obras artísticas (Arbítrio - indicada a melhor espetáculo no Prêmio Braskem de Teatro 2011, dando ao grupo na mesma cerimônia o prêmio na categoria REVELAÇÃO, Oroboro e a mais recente A Bunda de Simone, Prêmio Braskem de Teatro 2014 – na categoria especial); workshops; demonstrações de trabalho; a idealização e produção do evento/movimento EMPUXO – Zona de Encontro de Artes Cênicas (Junto a outros grupos e artistas emergentes da cidade de Salvador); e a idealização e realização da mini residência artística DELIRIUM AMBULATORIUM (Ano I, II e III).

        Sobre Brisa Morena - Bacharela em Artes Cênicas - Interpretação Teatral, pela Escola de Teatro da UFBA – Universidade Federal da Bahia. Pesquisadora, bailarina e atriz (atriz-performer) do Teatro Base – Grupo de estudo sobre o método da atriz desde 2013. Em nove anos de trabalho, já atuou em várias peças teatrais, como Chicos (2005, 2006, 2008), direção e texto: Susana Vega; Os Sete Gatinhos (2008), texto: Nelson Rodrigues, direção: Hedre Lavnsk Couto; O Doente Imaginário - Leitura do Projeto Sesc-Dramaturgia (2009), texto: Molière, direção: Évelin Correia; Salomé (2009), texto: Oscar Wilde, direção e adaptação: Amanda Maia, O Avesso de Eva (2009), texto e direção: Amanda Maia; Antígona (2010), texto: Sófocles, direção e adaptação: Frank Magalhães; Bonitinha, mas ordinária (2012, 2013), texto: Nelson Rodrigues, direção: Luiz Marfuz; Senhora dos afogados (2013), texto: Nelson Rodrigues, direção e adaptação: Diego Pinheiro e no primeiro trabalho com o Teatro Base: Oroboro (2013), texto: Construção Coletiva do Teatro Base, direção: Diego Pinheiro.

 

SERVIÇO:

 

Projeto ABUNDÂNCIA

·         Escandalosa

Dias 13 a 16 outubro, às 19h, quinta a domingo

Ingressos: R$10,00 (inteira) e R$5,00 (meia entrada)

 

Ficha Técnica

Direção: Brisa Morena e Manuela Muniz

Direção musical, operação de som e instrumentos: Amanda Rosa

Desenho e operação de luz: Katiuska Azambuja

Maquiagem: Roberta Nascimento

Figurino: Mamba Negra

Fotografia: Ana Reis

Cenografia: Talitha Andrade

Identidade visual: Graffites de Talitha Andrade, série LUTO

Produção: Giro Produções Culturais

 

Sinopse

        Podemos mais do que ninguém legalizar um estado de histeria. São milhares de anos de patriarcado nos tentando dominar, silenciando-nos. As gargantas se rasgam, o grito desses corpos ensurdecerá aqueles que ilesos não podem mais passar. Uma pesquisa agressiva sobre violência contra mulheres, que entende a importância da fala, da denúncia, da exposição, e da exaustão, pois, para sermos ouvidas gritaremos, se preciso for. Até que todas sejam livres!

        Guerrilheiras que invadem a cidade, por todos lados e linguagens. Escandalosa corporifica-se através das mãos de muitas mulheres, muitas artistas, são as vozes de todas ampliando o discurso feminista e empoderador, de consciência do lugar subjugado, relegadas ao espaço privado, vítimas de misoginia deliberada, e por fim, do entendimento de resistência e sororidade – o elemento transformador. Trata-se de uma Revolução da Mulher!

 

Fonte: Ascom FGM / Foto: Divulgação

Diversão e Lazer,