Monumento Visconde de Cairu

Economista, parlamentar, orador e político, José da Silva Lisboa – o Visconde de Cairu – nasceu em Salvador, em 1756, e formou-se em Direito pela Universidade de Coimbra, em 1779. Destacou-se por seu notável saber. Escreveu obras científicas, literárias e políticas. É autor do célebre Tratado de Direito Mercantil, publicado em 1801, e em virtude disso foi considerado o fundador dessa seção do Direito em Portugal. Em 1804, publicou o livro “Princípios de Economia Política”. Escreveu e colaborou em vários periódicos, no sentido de orientar a favor da causa da independência nacional. Fundou o jornal O Conciliador do Reino Unido, editado em 1820.

Amigo pessoal de D. Pedro I, foi deputado às Cortes Constituintes e com ele tomou parte ativa no movimento político que levou à independência do Brasil e à fundação do Primeiro Reinado. Foi agraciado no governo de D. Pedro I com o título de Visconde de Cairu e eleito senador do novo império.

Conjunto monumental em homenagem ao Visconde de Cayru (1756-1835) - que defendeu junto a Dom João VI a abertura dos Portos brasileiros às nações amigas de Portugal, no início do século XIX. Sua estátua em bronze figura no alto, em posição sentada. O pedestal é composto de blocos remontáveis de calcário de lioz, com alargamento na base terminada em degraus. Em prolongamento ao pedestal, onde é encontrado letreiro em bronze, há dois blocos simétricos, também de pedra calcária, dispostos lateralmente e em plano mais baixo, de forma a suportar alegorias em bronze. Na parte frontal, destaca-se a estátua representativa da Vitória. Na parte posterior está afixada uma placa comemorativa e na cantaria, em uma das faces do monumento, é encontrada seguinte a inscrição em baixo relevo: “ES. P. DE CHIRICO / 28.11.1934” – alusiva ao escultor da obra.

Fonte: Fundação Gregório de Mattos