Logo Prefeitura de Salvador

Cidade da Música da Bahia

Visite o Museu Cidade da Música da Bahia, instalado no emblemático Casarão de Azulejos Azuis, no bairro do Comércio, ao lado do Mercado Modelo, na Praça Cairu, Centro Histórico de Salvador.
 
Todo o acervo do museu é 100% audiovisual e o espaço oferece serviço de wi-fi gratuito. E ainda tem o café “Mãe Comida Afetiva“.
 
A visitação pode ser feita de terça  a domingo, entre 10h e 18h,  (entrada até 17h).
 
A entrada custa R$ 20 a inteira e R$10,00 meia. Estudantes, idosos e residentes em Salvador pagam meia-entrada através de comprovação. 
 
Acesse www.cidadedamusicadabahia.com.br e agende a sua visita. 

Tel.: 71 3106-4659

        

Casa do Carnaval da Bahia

Localizada no centro histórico da cidade, ao lado da Catedral Basílica, a Casa do Carnaval foi construída com um investimento de cerca de R$ 6 milhões da Prefeitura de Salvador e inaugurada no dia 05/02/2018.

A curadoria do projeto é do artista, designer e cenógrafo Gringo Cardia junto com o professor doutor em Cultura Contemporânea e vice-reitor da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Paulo Miguez, um dos maiores especialistas nos estudos sobre festa,  e de um amplo grupo de artistas e pesquisadores como  Jonga Cunha e Bete Capinan que também contribuíram para a criação do espaço.

O grande diferencial da casa é a interatividade, entregue aos visitantes por meio de diversos recursos multimídia.

No primeiro compartimento do térreo do prédio o visitante encontra à disposição uma biblioteca de livros relacionados ao Carnaval, a Salvador e suas artes e tradições. E ainda, 200 bonecos feitos de cerâmica que representam figuras típicas da folia.

Ainda no primeiro pavimento, a Sala da Criatividade e Ritmos do Carnaval da Bahia, que comporta até 40 pessoas, detalha a diversidade presente no carnaval baiano. Com luzes, refletores e fitas de LED, a proposta do espaço é remeter à vibração da festa. Ao som de músicas características da folia tocando, o visitante tem acesso a diversas vitrines com objetos inéditos cedidos por artistas, que mostram decorações antigas e atuais, importantes durante as festas de Carnaval. O espaço interativo reúne a memória da festa na Bahia em arquivo material, adereços, esculturas, vídeos e áudios.

No primeiro andar, no cinema interativo, o visitante escolhe o filme que deseja ver, com 10 minutos cada e outros para fazer fotos com os adereços disponíveis para caracterização. Aqui, o visitante conhece a história do ritmo e vivencia a experiência do carnaval dançando uma das coreografias dos blocos e bandas, orientados por dançarinos.

No terraço, um espaço para contemplar a Bahia de Todos os Santos com mesas e bancos característicos da festa de rua.

O projeto é o primeiro museu do país dedicado à memória da festa e está aberto a visitações de terças a domingos, das 10h às 18h (entrada até 17h).

Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)

Horário de funcionamento: Ter a Dom – 10h às 18h

Quartas: acesso gratuito com agendamento

Instagram:@casadocarnavaldabahia

Endereço: Praça Ramos de Queirós, s/n – Pelourinho, Salvador – BA

Informações: 55 (71) 3324-6360 ou  3324-6791

 Foto capa: a_french_guy_in_brazil

        

Museu do Mar – Aleixo Belov

O Museu do Mar Aleixo Belov é capitaneado pelo ucraniano de 78 anos que veio para a Bahia ainda criança e deu três voltas ao mundo pelo mar.

Entre os trativos, o barco que “Três Marias” no qual Belov deu três voltas ao mundo. E ainda, as obras de arte que ele adquiriu ao longo das viagens, além de cartas náuticas e aparelhos de navegação.

O espaço possui 540 metros quadrados de exposição permanente. O museu ainda conta com 110 metros quadrados para exposições temporárias, uma sala de projeção de filmes, além do Café-bar Yolo, comandado pelo chef Raphael Sepulveda.

Endereço: Casarão amarelo no Largo do Santo Antônio Além do Carmo, nº3, no Centro Histórico de Salvador

Visitação:  Ter a dom – 10h às 18h

Taxa: 20,00 e 10,00 (meia). Quartas – gratuito. Criaças até 5 anos não pagam.

Tel: 71 3218-5985

Fundação Casa de Jorge Amado

Inaugurada a 7 de março de 1987, a Fundação Casa de Jorge Amado foi idealizada e instituída com o objetivo de preservar, estudar e difundir o trabalho do grande romancista Jorge Amado e de sua esposa, Zélia Gattai, assim como a arte e a cultura da Bahia em todas as sua manifestações. Localizada em imóvel colonial do século XIX, no Largo do Pelourinho, Centro Histórico de Salvador, sítio reconhecido pela Unesco como Patrimônio Cultural da Humanidade, a Casa de Jorge Amado abriga, em seus quatro andares, uma exposição permanente do acervo do escritor constituído de diversas edições de seus romances com traduções em 49 idiomas – fotografias, vídeos, cartazes e objetos que se relacionam com o autor e sua obra, além de arquivos de cartas, manuscritos e documentos diversos, à disposição de pesquisadores e estudiosos.

Horário de funcionamento: Seg a sex – 10h às 18h. Sáb e dom – 10h às 16h (Taxa 10,00 inteira e 5,00 meia). Às quartas, o acesso é gratuito.

E-mail: fundacao@jorgeamado.org.br

Website: https://www.jorgeamado.org.br

Facebook: @fundacaojorgeamado

Instagram: @casadejorgeamado

Endereço: Largo do Pelourinho, 15 – Pelourinho, Salvador – BA

Telefone: (71) 3321-0070 / (71) 3321-0122

Casa do Benin

Inaugurada em 1988, a Casa do Benin resultou do intercâmbio mantido entre a Bahia e o país africano Benin, através da cidade de Cotonou.

Após uma reforma executada pela arquiteta Lina Bo Bardi – que manteve as linhas externas do casario secular, mas modernizou os espaços – a casa abriga uma rica coleção de objetos e obras de arte da região do Golfo do Benin, de onde veio a maioria dos negros que povoaram o Recôncavo Baiano.

A maior parte do acervo foi colecionada pelo antropólogo e fotógrafo francês Pierre Verger em suas andanças pelo continente africano. O espaço abriga também exposições temporárias e oficinas artísticas.

Horário de funcionamento:  Ter a sab – 10h às 17h – gratuito

Endereço: Baixa dos Sapateiros, 7 – Pelourinho, Salvador, BA

Telefone: (71) 3202-7890

Museu de Arte Moderna da Bahia – MAM

O Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA) está localizado no Complexo Solar do Unhão, um sítio histórico do século XVIII, às margens da Baía de Todos os Santos em Salvador, que abriga também o Cine MAM, o Café do MAM e o píer onde são realiados eventos e pessoas se reúnem para apreciar pôr do sol.

Seu acervo é constituído por pinturas, esculturas, fotografias e desenhos de artistas como Tarsila do Amaral, Portinari, Flávio de Carvalho, Di Cavalcanti, Rubem Valentim, Pancetti, Carybé, Mário Cravo e Sante Scaldaferri, entre outros.

O Solar do Unhão foi construído no séc. XVII, em sítio histórico, em terras pertencentes a Gabriel Soares que doadas por testamento aos Beneditinos no séc. XVI.No séc. XVII, 1690, onde residia o Desembargador Pedro de Unhão Castelo Branco.

No início do séc. XVIII, o Solar foi vendido a José Pires de Carvalho e Albuquerque, que estabeleceu morgado (propriedade que não pode ser vendida, é herdada pelo primogênito). Por volta de 1740, surgem as primeiras notí­cias sobre a construção da Capela do Solar. No mesmo século, a casa recebeu feições mais requintadas, tendo sido colocados o chafariz e os painéis de azulejo portugueses no passadiço que ainda hoje dá acesso ao pavimento nobre do Casarão. A Capela é reedificada e consagrada à Nossa Senhora da Conceição.

No final do mesmo século, a fazenda do Unhão passa a ser conhecida como Solar do Unhão. No início do séc. XIX, o Solar foi arrendado, iniciando a partir daí­ um processo crescente de degradação do conjunto, com a instalação sucessiva de fábricas, incluindo uma de rapé, que funcionou até 1926. Já ao final da década de 40, produziu derivados de cacau e manufaturas diversas, sediou oficinas e foi transformado em trapiche, depósitos de combustíveis e mais tarde, durante a 2ª Guerra Mundial, em quartel para os fuzileiros navais.

Em 1943, o Solar foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), sendo depois, no iní­cio da década de 60, adquirido e restaurado pelo Governo do Estado da Bahia, com projeto arquitetônico de Lina Bo Bardi, para instalar o Museu de Arte e Tradições Populares. A partir de 1963, passa a sediar o Museu de Arte Moderna da Bahia, que já vinha movimentando a cultura baiana desde a sua inauguração em 1960 no foyer do Teatro Castro Alves.

Funcionamento para visitação: terça a domingo, 13h às 18h – gratuito

Café, cinema e pátios: das 12h às 20h

Endereço: Av. Lafayete Coutinho, s/n – Comércio, Centro Histórico, Salvador – BA

Telefone: 71 3117-6132

Memorial das Baianas

O Memorial das Baianas foi parte do grande trabalho da Associação das Baianas do Acarajé e do Mingau (ABAM), em Salvador. Mais que preservar as origens culturais do candomblé, houve atenção também para a continuidade dos ofícios manuais tradicionais da mesma cultura, que permitiram incluir diversas mulheres no mercado de trabalho.

EndereçoCruz Caída, Praça da Sé – Pelourinho, Salvador – BA

Visitação: Segunda a sábado – 09h às 17h – Taxa: 5,00

Telefone: (71) 3322-9674 / 3322-0129

Centro Cultural Palácio da Sé

O Palácio Arquiepiscopal de Salvador, também conhecido como Palácio do Arcebispado de Salvador, Palácio Arquiepiscopal da Sé e Palácio da Sé, localiza-se na Praça da Sé, no Centro Histórico de Salvador.

Foi construído no início do século XVIII para ser residência de arcebispos (inaugurado em 1715). É um dos exemplos de arquitetura do período colonial na cidade, possuindo subsolo e três pavimentos sobre a rua. Sua entrada é marcada por um frontão barroco e um portal em pedra de lioz decorado com o brasão de Dom Sebastião Monteiro da Vide, arcebispo de Salvador (1701-1722) na época da construção do edifício. Pode-se notar influência da arquitetura dos palácios renascentistas italianos em seu interior, com duas galerias superpostas que se abrem para um pátio central. As janelas dos dois primeiros pisos são de peitoril e vergas retas e o pavimento nobre, o mais alto, tem janelas com balcões e gradis de ferro. O interior está organizado ao redor de um pátio central. O palácio foi tombado pelo IPHAN em 1938.

O edifício ligava-se à antiga Igreja da Sé por passadiços elevados. Em 1933, a igreja foi demolida para permitir a expansão dos trilhos dos bondes da Companhia Linhas Circular de Carris da Bahia. Atualmente, o espaço da antiga igreja é ocupado pela Praça da Sé, onde, em 1999, foi erguido o monumento da Cruz Caída, do artista plástico Mário Cravo, em homenagem ao templo demolido.

A adaptação de uso do imóvel tem o intuito de implantar um centro de referência da história da Igreja Católica no Brasil, expondo o acervo de singular importância da Arquidiocese de Salvador. O apoio do BNDES abrange as obras civis de restauração do edifício e também a musicalização do palácio, com criação de laboratório para restauração documental.

Instagram: https://www.instagram.com/palaciodase/?hl=pt-br

Site: www.palaciodase.org.br

Funcionamento: Seg a sab – 09 às 17h

Taxa de visitação: 5,00

Endereço: Praça da Sé, 203-47 – Centro Histórico, Salvador – BA, 40020-210

Telefone: (71) 3838-9987

Museu de Arte da Bahia – MAB

O Museu de Arte da Bahia apresenta, nesta mostra, um pouco de cada coleção que compõe o seu rico acervo. Dividido em dois ambientes, o hall do museu exibe importantes conjuntos de artes decorativas, como peças de mobiliário, porcelanas e leques, além de gravuras e mapas que remetem à antiga Cidade da Bahia e revelam aspectos dos séculos XVII e XVIII. Estas obras possuem grande importância histórica por representarem a visão de estrangeiros que aportavam na cidade de Salvador e as mudanças pelas quais essas paisagens passaram devido à ação do tempo e do homem. Também faz parte da exposição o modelo de brigue (embarcação à vela) “Pedro II”, feito pelo construtor naval espanhol Sebastian Roca, em 1884.

Endereço: Av. Sete de Setembro, 2340 – Corredor da Vitória

Horário visitação: Terça a sexta- 13h às 18h – Sábado e domingo- 13h às 17h (Gratuito)

Informações: (71) 3117-6902

Museu Eugênio Teixeira Leal

Quer conhecer mais sobre a história do dinheiro? O Museu Eugênio traz para você. Neste Centro Cultural formado por Biblioteca, Cineteatro, Galerias e Museu é possível conferir condecorações, medalhas, moedas e cédulas de diversos materiais, países e períodos da história. Destaque para peças raras do Império Romano, Bizantino e Idade Média.

Inaugurado em dezembro de 1984, o Memorial composto pelo Museu Eugênio Teixeira Leal, Arquivo Histórico, Biblioteca, auditório e sala de vídeo em um sobrado do Século XIX. Possui acervo de 9.233 peças, dentre elas, moedas, medalhas e condecorações nacionais e estrangeiras, medalhas militares, mobiliário, pinturas, placas, troféus, distintivos e selos. Suas coleções são de valor inestimável, em virtude das curiosidades, contexto histórico e preciosidades que possuem. O museu desenvolve, também, parcerias com outras instituições públicas e privadas, ONGs e grupos afins, para realização de atividades educativas, culturais e eventos.

Facebook: https://www.facebook.com/museueugeniotleal/

Instagram: https://www.instagram.com/museueugenio/

Horário de funcionamento: Seg a Sex – 9h às 18h

Acesso gratuito

Endereço: Rua do Açouguinho, 01, Pelourinho, Salvador

Telefone: (71) 3321-8023 | 3321-9551

© 2022 Copyright: Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia (SEMIT)
Skip to content